28 de abril de 2010

A Pedra



“No meio do caminho tinha uma pedra.

Tinha uma pedra no meio do caminho”.

A pedra estava ali, naquele caminho, já há alguns anos e com o passar dos mesmos cada vez ficava mais tristonha, pois volta e meia alguém passava pelo caminho e exclamava:

- Tem uma pedra no meio do caminho!

A pedra de tanto escutar a exclamação, em tom de reclamação ficou tão incomodada que passava os dias a pensar em uma maneira de não mais atrapalhar a jornada dos que por ali passavam, porém como era pedra tinha pouquíssima mobilidade e vez ou outra conseguia chegar um pouco para o lado quando um caminhante sem querer esbarrava nela, ou quando a chuva, impiedosa, a jogava um pouquinho mais pro lado.

Demorou alguns anos para que a pedra conseguisse alcançar a margem da estrada, mas finalmente conseguiu. Um rapaz que caminhava distraído tropeçou nela com tamanha força, que duas voltas foram suficientes para alcançar seu intento.

Até que a estrada vista sobre aquela perspectiva tinha lá seus encantos.

Agora não mais ouviria as reclamações, dos viajantes, e de protagonista passara a espectadora.

12 comentários:

Felina Mulher disse...

É incrível como as palavras tem um poder tão grande.Muitas vezes de tanto escutar que encomodamos ,acabamos por acreditar nisso...

Um bela tarde menina.

Mona Lisa disse...

Pedras no caminho?!...tento ultrapassá-las...

Bjs.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Hoje a minha visita é para agradecer.
Nestes dias que celebro a minha vida,
tenho certeza de que a mesma
não teria o brilho de hoje,
se não fossem os amigos e amigas
que a tornam valiosa
mesmo que distantes.

A ti gostaria de dizer obrigado:
Obrigado pelas visitas ao meu blog.
Obrigado pelas palavras semeadas.
Obrigado por sentir os meus textos
com os olhos do coração.

Sou eternamente grato a vida,
por mais estes presentes
que de modo gentil
deixas em minha vida,
fazendo de mim uma pessoa melhor,
e pleno de felicidade.

Lindos dias de vida para ti.

Flavio Ferrari disse...

Adorei a parábola ...

Fátima disse...

Isadora, ser espectador na maioria das vezes é mais confortante, a exposição está sempre sujeita a julgamentos.

Agradeço o carinho de suas visitas.

Beijinho.

G. disse...

Isadora, foi interessante como você abordou por um outro ângulo os famosos versos de Drummond... Apaixonante! Beijo carinhoso, cuide-se bem!

Renato Bueloni Ferreira disse...

Muito legal a visão que se tem quando se muda a perspectiva, quando se coloca no lugar do outro.

C@urosa disse...

Olá minha sensível amiga Isadora, que as pedras me mostrem caminhos encantadores. Maravilha de texto, adorei.

paz, harmonia e mais inspiração,

forte abraço

C@urosa

Glorinha L de Lion disse...

Isadora querida, essa fábula é pra mostrar que mesmo o que nos parece imutável ou "imudável" pode mudar sim...é só pensar positivamente no nosso objetivo...ando aprendendo isso com vcs, minhas miguxas tão mais jovens que eu...
Obrigada pela bela lição.
beijos

Isadora disse...

Obrigada a todos, sempre, pelas palavras tão carinhosas!

lis disse...

Que bonita interpretação !parabens Isadora
Que nossas pedras se houver tropeço seja assim pra melhorar noso caminho.
um abraço e bom fim de semana

Pérola disse...

Boa tarde minha linda.
Estou com muitas saudades de ti rs.
As vezes somos pedras amiga.
Amei a sua postagem.
Beijokas.