16 de abril de 2010

Caminhos


Ela há muito caminhava e estava cansada, com sede, os pés doendo e o corpo reclamando do sol inclemente, mesmo após muitos frascos de protetor solar.

Decidiu parar um pouco para refrescar-se e descansar. No entanto, não podia demorar e ainda que o caminhar fosse lento era contínuo, constante e após vinte minutos de pausa retomou a caminhada.

Nesse longo trajeto percorrido, aos poucos, percebeu que a cada tantos quilômetros deixava algo pelo caminho. Se deu conta do quanto deixou para trás - coisas que não lhe serviam mais, os desapontamentos que vinham em pequenas medidas, mas que eram recorrentes, a saudade que por vezes dilacerava seu coração, pessoas que a magoaram e que a julgaram sem mesmo conhecer-lhe, a injustiça cometida a todo momento sem motivo, entre tantas outras mais.

A verdade é que sentia-se mais leve, afinal, tanto ficou pelo caminho. Despiu-se de sentimentos, pessoas, coisas, é claro que doía, mas sabia que era o melhor para si mesma.

Após todas essas constatações, finalmente, avistou o que aguardava durante todo aquele caminhar. Lá, à frente descortinava sobre seus olhos, a bifurcação. O momento tão aguardado chegou.

Diminuiu o máximo que pode, os passos, pois mesmo que o momento pedisse calma não podia parar de caminhar.

Seguindo, lentamente, a medida que a bifurcação se aproximava, um filme de sua vida passava e precisava decidir, independente de todas as incertezas que qualquer escolha carregava. Podia, simplesmente, continuar no caminho que seguira até então, ou se aventurar por um novo caminho. Os dois eram incertos, ainda, que o primeiro fosse velho conhecido.

Precisava apressar sua decisão, pois a bifurcação crescia à sua frente. Sentia-se insegura e com medo, mas não podia pensar nisso agora.

O momento chegou e teria que decidir por um ou outro caminho. E agora? - Falou em voz alta. O filme de sua vida corria como se alguém tivesse apertado a tecla avançar do controle remoto. Um frio percorreu sua espinha e quando viu já havia colocado o pé direito, no início do novo caminho.

Sim, tinha sido essa a sua escolha. Abandonou o caminho percorrido até então, e aventurou-se pelo novo com a genuína certeza de que dias melhores estavam por vir.

11 comentários:

G. disse...

Isadora, o post me fez pensar sobre a minha própria vida e a minha caminhada de40 anos por este "ermo". Fez-me lembrar também de minhas decisões, acertadas, fracassadas; mas, decisões... Tentativas, ao menos. À frente, há a chance de novo caminho. Como diria aquela canção do Jota Quest: "vivemos esperando dias de paz, dias a mais, dias que não deixaremos para trás. Dias melhores pra sempre..."

Parabéns pela sensibilidade do post. Grande abraço, cuide-se bem...

Eliana Pessoa disse...

POST VERDADEIRO!
DIFÍCIL ESCOLHER UM NOVO CAMINHO MAS SE É NESCESSÁRIO VAMOS A ELE!!!

Felina Mulher disse...

temos sempre que arriscar o que pensamos ser o melhor, não importa se a decisão é acertada ou não.Há que se tentar.

Um grande beijo.

Wanderley Elian Lima disse...

O medo de mudar de caminho, de tentar o desconhecido, de trocar a rotina, muitas vezes nos impedir de viver novas emoções e viver novas experiências.
Beijos

C@urosa disse...

Olá minha querida Isadora, belo texto, são os caminhos que a vida nos impõem, só nos resta fazer a escolha e ir em frente. Muito bom!


paz e harmonia e muita alegria em sua vida,

forte abraço

C@urosa

Pelos caminhos da vida. disse...

Estou com muita vontade de mudar de caminho... mas estou com medo.

Um dos maiores milagres de Deus é permitir que pessoas simples e comuns possam transmitir coisas incomuns, fortes e ricas de sabedoria.

(desconheço autoria).

Fim de semana iluminado pra vc amiga.


beijooo.

Everson Russo disse...

O bom da vida é isso, poder se aventurar por varios caminhos,,,poder escolher,,trocar a rota e quem sabem encontrar o amor que tanto procura....beijos de lindo final de semana pra ti.

Mona Lisa disse...

Olá

Acho difícil mudar o rumo.
É possível, com muita coragem.

Bjs.

Everson Russo disse...

Um lindo domingo pra ti amiga e uma semana de carinho e paz...beijo no coração.

Kyria disse...

Maravilhoso!
Estou exatamente neste processo há dias. Como é didícil abrir mão do conhecido.
Mas, é necessário que isto aconteça.
Parabéns, brilhante texto, bjs

Lu Souza disse...

Isa, Hoje estive aqui com pouco mais de tempo e lendo seus posts me identifiquei muito. Uma fofura seu blog. Te linkei, assim posso acompanhar tudo que sai daqui, rsrs.
Beijão!