26 de abril de 2010

Lilás ou Roxo e suas nuances (Blogagem Coletiva)

Essa semana a cor escolhida para a Blogagem Coletiva é: lilás ou roxo e suas nuances. Bincadeira idealizada pela Glorinha. Então vamos lá....


"Amanhã
Outro dia
Lua sai
Ventania abraça
Uma nuvem que passa no ar
Beija
Brinca
E deixa passar
E no ar
De outro dia
Meu olhar
Surgia nas pontas
De estrelas perdidas no mar
Pra chover de emoção
Trovejar...
Raio se libertou
Clareou
Muito mais
Se encantou
Pela cor lilás
Prata na luz do amor
Céu azul
Eu quero ver
O pôr do sol
Lindo como ele só
E gente pra ver
E viajar
No seu mar
De raio."
(Lilás - Djavan)


E agora, um conto:

" Era uma vez uma tília, numa certa Primavera do norte, onde nasceram muitas princezinhas novas, todas iguaizinhas, filhas-folhas de faces verde-fresco e contrafaces verde-veludo-claro. Um dia o vento do sul trouxe-lhes dedos de carícias mornas e fez-lhe cócegas de ternura e brisas... Elas, as folhas-princezinhas, murmuraram risinhos soltos e deixaram-se apaixonar pelos segredos do vento. Sempre que ele chegava de mansinho, nos anoiteceres tardios de Verão, elas desabrochavam perfumes novos e soltavam-nos, como pétalas volantes, nos braços do vento doce, que as abraçava, amoroso e cúmplice, e lhes contava histórias do sul...


A mais linda história, porém, foi a que ele contou, uma certa noite sem luar, com todas as estrelinhas à escuta, tremeluzindo de emoção e curiosidade: o vento, incansável viajante, sabe coisas incríveis, fantásticas, de mundos tão distantes como os nossos sonhos! Por isso as folhinhas princesas tanto gostavam de conversar com ele! Nessa noite, então, ele contou-lhe duma certa princesa: Era uma doce flor de IPÊ ROXO que, certo dia, quis fugir do Outono que ameaçava condená-la às masmorras do chão frio, e voar para longe, para o mundo distante onde moravam o céu azul e o rei sol. Pediu então a ajuda do vento seu amigo. É claro que o vento, que tanto lhe queria também, não pode deixar de a ajudar... Com dedos de ternura e jeito, amparou-lhe o frémito de libertação da árvore-mãe, e levou-a , onde sempre, sempre, há riso de sonhos e beijos de raios de sol... A florzinha, vestida com o seu melhor vestido de princesa, aquele de seda roxo enfeitado de perfumes de pedras preciosas, sabia que lá iria encontrar o SEU raio de sol entre todos os raios de sol daquele reino encantado. E foi vestida assim, de roxo e perfumes, que ELE a achou... E o sol sorriu, o vento choramingou, o arco íris veio espreitar! Foi um encontro lindo, digno de todas as histórias de fadas e encanto!...

É claro que o vento, nas suas andanças irrequietas, teve que sair apressado... e nem ele mesmo sabe se a imagem daquele beijo que trouxe gravada, como a página final dum livro em que a legenda é: "...E viveram felizes para sempre...", ainda mantém as cores originais... mas o vento é crente, as folhinhas jovens da tília são sonhadoras e consta que a própria Primavera se enterneceu com essa história de amor e os fadou para serem felizes... afinal, na Terra do Sempre a Felicidade é sempre... para sempre."
(Tera Sá)

8 comentários:

Cris França disse...

ai que post apaixonante! amei ! bjs

Glorinha L de Lion disse...

Que delícia de estória Isadora! Viajei, me senti criança outra vez!
Lindinho....beijos.

Lu Souza Brito disse...

Isa, adorei o conto da Princesinha e do Vento. Lindo demais!

Chica disse...

Ficou encantador!beijos,linda semana,tudo de bom,chica

Tati Pastorello disse...

Linda fábula. Encantada mesmo. Que delícia, que leveza...
Beijos.

Marliborges disse...

Que amor esse conto, vou contar pra minh
a netinha, ela vai amar e tenho certeza que vai pintar muito de lilás e roxo, que ela adora!!!!
bjs, lindo post

Eliana Pessoa disse...

QUE CONTO MAIS LINDO ADOREI!

Fátima disse...

Tudo lindinho por aqui...tudo suavezinho...tudo lilazinho...dá vontade deitar e ficar !
Adorei.
Beijinho Isadora.