26 de junho de 2010

Olhar Feminino



Maria José desde criança carregava consigo um olhar cinza, duro e triste. Nasceu no interior de Pernambuco e morava com os pais e mais quatro irmãos, em uma casa de apenas três cômodos.

Os pais e os dois irmãos mais velhos eram bóias-frias. Ela ficava em casa cuidando dos menores. A vida era miserável e muitas vezes o que restava para comer era farinha torrada.

Os anos passaram e pais e filhos iam para a lavoura. O que recebiam mal dava para o sustento da família. Quando passou a receber seu dinheiro, uma parte destinava a ajudar em casa e outra parte guardava, em uma lata de leite. Tinha um sonho: ir para a cidade grande, largar aquela vida miserável e quem sabe passar a ter um olhar menos cinza entristecido.

Uma tia trabalhava em uma casa de família, no Rio de Janeiro, e com o consentimento dos pais escreveu para a tia perguntando se ela poderia lhe oferecer moradia até que conseguisse um emprego. A tia que vivia sozinha, em uma pequeno casa no subúrbio aceitou receber a sobrinha. E com dezesseis anos, Maria José despediu-se dos pais e dos irmãos e veio tentar a sorte na cidade grande. Carregava consigo um olhar cinza chumbo entristecido.

Mal sabia ler e escrever, mas estava decidida a arrumar um emprego e estudar. Foi ao chegar, ao Rio de Janeiro, que a perspectiva de seu olhar começou a transformar-se. Ainda carregava o olhar cinza entristecido, mas agora, era de saudade dos pais e dos irmãos.

Por sorte, logo conseguiu um emprego como auxiliar de limpeza, em um supermercado e com o dinheiro que recebia conseguiu cursar, à noite, o supletivo e ainda mandar um pouco para seus pais.

Em um ano e meio concluiu o ensino médio e foi promovida. Passou a atendente, na padaria, do supermercado. O salário melhorou e com isso, a quantia enviada todos os meses para os pais. O olhar andava ainda mais cinza entristecido, pois a saudade era grande e dessa vez sonhou mais alto: trazer toda a família para o Rio de Janeiro.

No supermercado conheceu Zé Carlos que trabalhava como subgerente e este arrebatou seu coração. O primeiro e único amor de toda a sua vida. O rapaz era de origem humilde, mas muito respeitador e fez questão de ir à casa da tia da Maria José pedir-lhe em namoro. A Tia consentiu e os dois namoravam sentados, no sofá da sala vendo televisão.

Tomada pelo encanto e completamente enamorada, o olhar cinza entristecido, de Maria José transformou-se em um lindo arco-íris: verde esperança que logo virou vermelho paixão que passeava com o amarelo felicidade, e, que com o passar dos meses rumou para um rosa amor, de mãos dadas com o azul calma culminando com o olhar branco de paz.

Toda essa paleta era por causa de Zé Carlos? Sim e também. Em um ano se casaram e alugaram uma casinha perto da Tia. O noivo sabendo do sonho de Maria José de reunir toda a família, não se fez de rogado e trouxe todos para o casamento.

Depois todos voltaram? Não. Os dois alugaram uma casa por perto, também, para toda a família e em pouco tempo os dois irmãos mais velhos já estavam empregados e as duas menores estudando. O pai que não era homem de ficar em casa arrumou uns biscates. Todos viviam com sacrifício, mas a vida, sem dúvida, se apresentava bem melhor e Maria José que desde cedo carregava olhos cinza entristecidos nunca mais os reconheceu.




37 comentários:

Lis. disse...

Bom dia, carioca...

Costuma-se dizer que que quem conta um conto aumenta um ponto... Precisava trazer toda familia da moça para o Rio de Janeiro? rsr

Felina Mulher disse...

Que linda história...quem dera tds as mulheres de olhos cinza entristecidos pudessem troca-los por um um rosa amor, e viver de mãos dadas com o azul calma culminando com o olhar branco de paz.
Simplesmente lindo.

beijos Isa e um excelente Sábado pra vc moça bonita.

Andrea Pagano disse...

Bom dia Isa,
Sempre digo que um olhar vale muito mais que palavras, o olhar traz a tona aquilo que temos de mais valioso que é são as palavras do coração. O olhar traduz os sentimentos de forma que é possivel ver o amor e a tristeza...

Neste caso, mesmo com seu amor o
coração ainda tinha a tristeza de ficar sem a família...
Que bom que no final o olhar trouxe o que faltava!

Bjs e bom fds para todos ai!

Manuela Freitas disse...

Isa uma história comovente de final feliz. Valeu a determinação da Maria josé, que conseguiu desbravar um caminho para todos.
Se todas as histórias fossem assim felizes!...
Beijinhos, bom fim de semana
Manú

Teresa Cristina disse...

Somente um coração terno é capaz de transformar um olhar cinza em tons do arco-íris. Adorei o conto!Vamos torcer por todas as "Marias José" do nosso imenso Brasil.Beijos Isa!

Louise Oliveira disse...

Parabéns Isa, pela sua forma linda de participar da promo do Femina.
Narrou bem o que é um olhar feminino, o de esperança e cheio de sonhos, determinaçao e conquista, que toda mulher tem. Principalmente em se tratando de família. Fazemos o que for preciso para a união de nossa família mesmo.
Bjs! Amigaaaaa!
Lu

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma bela participação.

As vezes é preciso destravares portas,abrir todas as janelas,
deixar o vento entrar,
destravar os cintos da insegurança e
decolar para assistir a terra de luneta,
comer pipoca sentado na lua,

escorregar pelas pontas das estrelas,
dançar no ventre das nuvens,
sonhar em outros planetas...
e dar muitas risadas com os cometas...

Às vezes é preciso ficar só...
Com um papel e uma caneta
para colorir o coração
e colocar mais alegria no viver
e se encantar com a felicidade
e não esquecer dos sonhos!

(desconheço autoria).

Bom fim de semana amiga.

beijooo.

Pena disse...

Olhe, Notável e Fabulosa Amiga:
Sem querer ferir sensibilidades, penso que o que escreveu é pura e simplesmente, de deliciar, encantar e maravilhar.
Parabéns. É linda, sabia?
Beijinhos amigos de respeito.
Fascinado com tanto encanto seu.

pena

Bem-Haja, enternecedora amiga de deslumbre.
A visita? Fabulosa. Uma lição de vida que já registei.
É perfeita no que concebe com ternura.

Aline Schons disse...

Que os nossos olhos correguem sempre um bonito arco-íris, Isadora! Bom final de semana! Beijos

Sandra Botelho disse...

Esse arco iris no olhar ...
Deu a ela um céu de felicidades...
Que lindo amiga.
Parabens.
Bjos achocolatados

EDER RIBEIRO disse...

A saga da maioria dos emigrantes que só com muita luta consegue tirar dos olhos a tristeza plúmbea que traz consigo. Bjos.

Gilmar disse...

Isadora! Esse é o olhar do sonho e da pertença.

Sonho em alcançar outro lugar, outra vida, outras possibilidades. Pertença, porque distante da família, o olhar acinzenta-se.

Eis aí o olhar de bravura da mulher; olhar de perseverança; olhar de filha; olhar de humildade; olhar de fé!

Um belo conto, minha amiga! E que belos olhares ele traz consigo!

Um bom final de semana!

Chica disse...

Que coisa mais linda Isadora essa tua participação!ADOREI!BEIJOS,TUDO DE BOM,CHICA

Luma Rosa disse...

Não é uma história de final feliz, pois a vida é feita de recomeços!! Um passo, o início de desafios vencidos! Viver é isto!!
Amei a Bia, bonitinha no "Luz"!!! :=))) Bom fim de semana! Beijus,

Sil.. disse...

Isa, querida!
Você sempre com textos lindos, de fazer a gente encher os olhos d'agua.
Quantas Marias existem perto da gente?
Na minha familia teve um monte.
Relembrei a história da minha vó.
A vontade de crescer, mas ao mesmo tempo aquela dor da saudade da familia.
E depois de alguns anos, todos juntos tbm.
Que maravilha isso minha amiga!
Voce sempre emociona, sempre!

Dois abraços grandes:
Pra você, e pra Bia!

Lis. disse...

Olá Carioca...

Seu conto está muito bom levando a familia da moça para o Rio, pois a rede Globo também leva muita gente para o Jardim Botanico... nÉ? rsr

No fim do ano passado fui até os Arcos da Lapa ver aquele um canto que aparecia numa novela, e cadê? Era só engano, pois estava tudo era na cidade cenográfica.

Ainda não saí daqui, da beira da praia, mais precisamente da cidade de Itanhaém. Estarei provavelmente dentro de 30 dias circulando pelas ruas da Tijuca. E ficarei até uns 30 dias tratando dos negócios da familia aí no Rio de Janeiro.

Por enquanto só estou precisando de uma injeção de animo, pois não é nada fácil mexer com coisas que estão atreladas as pessoas com as quais convivemos sentimentalmente durante muito tempo, e que deixam-nos seus despojos.

E a missão coube à mim,
por ser o mais tranquilo.
E sossegado da família. rsr



Com as passar dos anos a lei da gravidade atua de maneira implacável - rs, mas sempre amigas.
Deixa a família da moça vir pro Rio!
E como foi a sua passagem por aqui? Espero que tenha corrido tudo bem.

Ester disse...

Isa, amei seu conto!

Não tenho facilidade para escrever contos, crônicas, por isso quando vejo um assim tão bem escrito, fico com muita vontade de escrever igual,

parabéns, ficou bom mesmo!

Bjs,

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Oi Isadora!
Que gostoso passar por aqui e ler o que vc escreve!
Linda história flor.
Amo finais felizes rsrsrs.
Beijinhos minha linda flor.
Bom domingo.

Flores e luz.

Mona Lisa disse...

Adorei o conto.

Todo ele cheio de amor, sem egoísmo, um amor sem limites.

Será que existem muitas "Marias Josés", assim?!

Bjs.

Everson Russo disse...

Muitas vezes um olhar aparentemente triste muda uma historia,,,conduz uma vida,,,beijos de otima semana pra ti amiga.

Pérola disse...

Muito linda e comovente postagem.
O olhar é o começo de tudo,desencadeia mudanças q surpeende.
Parabéns amada.
Estou de casa nova,a outra vou deixar de recoradções.
http://perolamarinhadois.blogspot.com/
Seja bem vinda.

.Thá. disse...

Adorei seu texto. Alias, seus textos. hehe Gostei muito da maneira como escreve. Serei leitora assídua. hehe Um beijão!

ஐ¸.*Lady *.¸ஐ disse...

Que linda participação querida!
Um olhar com amor pode mudar vidas.
Tenha uma semana de muita paz e amor.
Beijo carinhoso.
Lady

legalmente loira... disse...

oi isadora,
que conto lindo!
Maria José nos deixa um lindo olhar de esperanças.
lindo domingo com um belo sol.
bjos.

isa eu estive vendo você la na lu, e adorei o seu comentario sempre sendo gentil e carinhosa mesmo não tendo nada a ver eu fiquei dentro de farias coisas a que ela se refere ai ai ai aquilo tudo mexeu comigo hahahaha preciso revisar meu espaço hahahaha
xau xau.

Isadora disse...

Obrigada a todos pela palavras carinhosas deixada por aqui.
Um beijo, bom finalzinho de domingo e amanhã estaremos juntos torcendo!

Solange Maia disse...

Isa,

amo suas palavras, e hoje elas deixam uma possibilidade de olhos deixarem de ser cinzas... hoje há uma guerreira, sonhadora, mulher...

temos todos um pouco desta história por dentro, não é ?

beijos

Everson Russo disse...

Um super beijo de linda semana pra ti amiga querida.

Espaço Aberto disse...

Isadora,

É com grande alegria que viemos te convidar, mais uma vez, a participar conosco da blogagem coletiva do mês de Junho, cujo tema é

"O que você faria se, por um dia, se tornasse alguém do sexo oposto?"

A blogagem tem início hoje e vaí até sexta-feira, dia 02 de Julho.
Ficaramos muito felizes em tê-la conosco novamente!

Beijo grande!

Sanzinha

G I L B E R T O disse...

Isadora

Cheguei aqui com o olhar cinza entristecido, mas, diante de tão bela crônica, ele ficou com um aspecto branco de paz!

Grato pelo tempo de esperança que me destes!

Amo crônicas, e a tua está ótima!

parabéns!

gilberto

nel mezzo del cammim

Mari disse...

Isa querida...

Que delícia ler você!
Adorei o conto amiga!
Boa semana!
Beijos

Ivy disse...

Isadora, vim te visitar... e qdo rolei o mouse fui parar no post "Um assunto sério que compartilho com vocês!"

Li todinho, e amiga, cheguei a me emocionar...

A Bia não vai ser uma bailarina, mas com certeza, vai ser uma grande mulher... e com muita sensibilidade, assim como a mãe...

Bjs, amiga, e uma excelente semana pra vcs, cheia de vitórias...

Luciana P. disse...

Essas histórias emotivas nos fazem perceber que a vida vale a pena e que é bom sonhar, mesmo que seja de vez em quando. Adorei!

Beijos pra ti e bom início de semana.

Ava disse...

Estive a ler-te, e me encantei com tanta beleza em seu conto.

Parabéns!

Beijos

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Isadora
Uma bela e real estória, como a de muitas Marias de abandonaram suas terras e sonharam um sonho maior.
Beijos

Irene Moreira disse...

Isadora
Líndissima História e com um tema muito real e o mais gostoso que com um final feliz.
Beijos

Johnny disse...

Olá Isadora!

Adorei! Linda história e bela lição. Determinação é tudo!
Nós somos donos do nosso próprio destino.

Bjs!

Johnny

Lu Souza Brito disse...

Quantoa assim conhecemos né Isa?
Bom quando podemos transformar o olhar cinza chumbo em arco íris.