13 de agosto de 2010

Blogagem Coletiva - Sentimentos: Inveja

Nossa terceira semana da blogagem coletiva proposta pela Glorinha do Café com Bolo. Já falamos de medo e desejo. Foram desafios? Se foram, mas para mim, o desta semana por enquanto é o maior. Falaremos de inveja.

A inveja mata? Ou não?

Antes de contar um conto vou confessar algo a vocês. Durante algum tempo, eu quis muito algo. Muito mesmo e senti inveja. Sim é verdade. Feio, né? Pois é, também acho mas se é para falarmos a verdade, ok, eu confesso, mas a vida com toda a sua experiência e sabedoria não atendeu aos caprichos dessa aqui que vos fala. Agradeço, imensamente, por não ter sido atendida. Hoje, compreendo e tenho certeza que não seria feliz. E do alto de toda a sabedoria, quando nos fecham uma porta pode ter certeza que outra abrirá. E não é que aconteceu assim.

A porta aberta, não só revelou,  como me ensinou algumas lições: ter cuidado com o que desejo e mais, a não achar que a grama do vizinho é mais verdinha. Relembrei como a minha grama tem um verde lindo e é no meu jardim que serei feliz. Contemplo  meu jardim, pois aqui tem flores lindas e raras. Tem espinho? Oh, se tem mas são meus também!

A Inveja

- Você percebeu?

- Claro que sim!

- Mas...eu tentei disfarçar. Na verdade tentei esconder de você.

- De mim? A essa altura de nossas vidas você já devia saber que isso não é possível.

- Eu sei. Fiquei envergonhada. Ok, agora você vai me criticar, condenar ou passar um sermão, certo?

- Eu, nem pensar. Me diz uma coisa, há quanto tempo nos conhecemos?

- Há muito tempo é certo – confessou sem jeito.

- Então você também deveria saber que não a criticarei, não a condenarei e muito menos passarei um sermão. Eu a conheço, se lembra?

- Lembro muito bem, mas alguma coisa você tem a me dizer.

No íntimo sentia que não estava preparada para aquela conversa, mas esperava, sinceramente, que fosse amena e que a ajudasse a recobrar a serenidade.

- Minha querida, tudo o que eu tenho para dizer-lhe, você já sabe, porém se insiste é porque talvez precise ouvir para se sentir confortada. Então, sente-se vamos conversar, mas antes vou preparar um chá, vá puxando uma cadeira para nós duas.

- Porque se sente tão angustiada e inquieta? Sabe de tudo aquilo em que acreditas, sabes o que considera justo e correto. E acima de tudo, já aprendeu que a vida nos prega peças. Aceita sem crucificar-te que és humana e por isso passível de erro e que o que sentiste não a faz pior do que ninguém. É assim mesmo todos vivem sentimentos contraditórios, sentimentos que vão de encontro ao que consideramos correto e bom.Isso que sentiste e que não queres denominar, mas que vou te ajudar, chama-se inveja.
 
“Ninguém pode ter tudo. Estou falando das características próprias de cada um como caráter, consciência tranqüila, mente desencanada, leveza de espírito e vou um pouco além, o remelexo sensual de quadril que é natural da mulata, aquela levantada de sobrancelha que só algumas pessoas que têm o charme maduro.”

Não adianta e nem é saudável querer ser igual ao outro. Atente para isso e entenda que sofrer por causa desse sentimento não a levará a lugar algum, mas encarar isso de frente pode, sim, te ajudar.

Vamos combinar, minha querida amiga, quem nunca sentiu inveja? Vou adaptar o ditado e te dizer que quem nunca a sentiu não que atire a primeira pedra mas que atire a primeira flor!

Estava desconcertada com aquela conversa e ainda sentia-se envergonhada, porém sua Alma a entendia como ninguém e era possível sentir que o mal-estar causado por aquele sentimento começava a se dissipar.Vida que segue e mais uma lição.

Texto escrito e publicado aqui em Março/2010 e revisitado e alterado para a blogagem coletiva.

40 comentários:

Tati Pastorello disse...

Olá Isa querida,
Eu também já senti, e posso vir a sentir de novo, por que não? Somos todos humanos, como você bem diz no conto, e estes sentimentos estão dentro de todos nós, embora talvez a inveja seja o mais difícil de admitir. Mas se não o admitirmos fica difícil controlar. Só podemos lidar com aquilo que conhecemos. Quando percebemos o que vai em nós somos capazes de transmutar em algo mais saudável.
Adorei sua franqueza em admitir, coisa de gente forte!
Beijos.

Cris França disse...

que lindo Isa, um belo momento compartilhado, concordo com você, que todos nós em algum momento ja sentimos isso, mas nos diferenciamos por podermos sempre superar nossos limites. bjs e um lindo dia, obrigada por compartilhar. bjs

Dama de Cinzas disse...

Inveja é do ser humano, besteira dizer que não temos... Mas assim como todos os pecados capitais, uns são mais acentuados na gente... Em mim é a preguiça... rs

Nunca acho que ninguém tem inveja de mim... E acho meio chato essas pessoas que vivem o tempo todo dizendo que as pessoas sentem inveja delas... Ora... Será que são tão importantes e interessante assim pra serem tão invejadas? rs

Beijocas

Chica disse...

Que linda tua postagem e participação.

Ficou emocionante até.

Adorei e vi apenas verdade e sensibilidade no teu comentário sobre a clínica por lá.

Lindo e podes estar tranquila.Fizeste tua parte,sim!

beijos,tudo de bom,chica

Lu Souza Brito disse...

Olá Isa,

Comentei agora a pouco no Blog da Leci: quem nunca sentiu inveja? Duvide-o-dó.
Somos humanos, somos aprendizes e nos derrapamos muito ainda por ai, principalmente nos sentimentos.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Oi minha amiga, que saudades!
Estou melhor sim, meio lerdinha, mas melhor rs.
Primeiramente quero agradecer o carinhoso comentário que deixou para mim no domingo...é verdade, é doloroso sim, é que juntou tudo sabe?! Dia 3 era niver da mamãe (que já se foi) depois no domingo dia dos pais e domingo agora seria aniversário do papai...sei lá, junta tudo, e por mais que vc acha que se acostumou com a idéia, o subconsciente reage e te prega uma peça não é mesmo? Mas está td bem, to sempre dando a volta por cima e seguindo minha jornada.
Agora quero comentar sobre o que escreveu, pois é, que atire a 1ª flor ná querida, todos passamos por isso em algum momento da vida, é tão bom podermos trabalhar a nossa sombra a nosso favor, transformando os sentimentos ruins em coisas boas, e bons impulsos para se crescer nesta vida como pessoas do bem.Gostei muito do que escreveu (pra variar rsrs), e só pra descontrair, eu tenho aquela levantada de sobrancelhas que vc falou hahahaha, dei ri muito a hora que li rs.
Um grande beijo minha flor linda.

Flores e Luz.

orvalho do ceu disse...

Olá, amiga
A VERDADE nos liberta...
Tenhamos ótimo dia e reflexão com essa sugestão da Glorinha!
Bjs e serenidade para discernir...

Mari disse...

Bom dia Isadora,

Pois ela mata, enegrece a alma...atrasa a evolução.
Mas é um aprendizado!
Beijos querida

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Isa. Vc abordou a inveja de uma maneira muito graciosa e delicada.
Através dessa historinha, a gente se enxerga nos nossos momentos de inveja. Ninguém pode julgar o invejoso, pois todos já sentimos inveja um dia. O que é feio é o ato que acompanha a inveja ("as uvas estão verdes").

Excelente

Glorinha L de Lion disse...

Isa adorei! como vc escreve bem menina, já te falei isso né? sabe o que mais gosto quando toco nos temas digamos assim "incomodativos" ver quem se conhece e quem não, quem admite sentimentos vergonhosos, quem não, quem é normal, quem não...Acho uma grande brincadeira, que acaba virando uma auto terapia...adoro! Somos duas invejosas então! Bjs.

Felina Mulher disse...

Todos já sentimos isso,mas muito poucos conseguem a coragem de confessar. Linda tua participação minha menina.

beijos.

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Isadora
Acredito que todos nós já sentimos inveja de alguém ou de alguma coisas. Acho que não vamos para o inferno por causa disso rsrsrs. Afinal, existe aquela inveja que não faz mau a ninguém, não é mesmo?
Beijos

Teresa Cristina disse...

Isa, querida! Sua escrita é tão gostosa, tão leve que um tema pesado nos faz refletir do nosso lugar de humanos. Adorei o texto! São sempre presentes para nós. Beijocas e bom final de semana!

Lis. disse...

Engraçado carioca, é poder dizer-te que sou mais velho do que você e nunca senti inveja de nada, e nem de ninguém.

O que tive foi alguns casos de tristeza frente a minha impotência de ter algo ou alguma coisa que me parecia importante no momento em que vi. Mas no meu caso o fato se dá por que sou objeto de inveja dos outros, que jogam a inveja sobre a minha pessoa.

A minha filosofia pessoal de vida sempre me ensina que ao invés de ficar perdendo tempo sentindo inveja dos outros, é bem mais produtivo arregassar as mangas e sair atrás do que me acrescenta.

É bom destacar que todo aquele que lança mão do arado e olha para trás não é digno do que faz. Em todas as vezes, o que vi, vi, foi, e ficou, no passado, posto que qualquer águas passadas movem moinho.

Beijo.

Beth/Lilás disse...

Oi, Isa!
Fiquei sem Internet a manhã toda, por isso a demora para chegar aqui.
Lindo e perfeito seu post!
Quem não teve que atire a primeira flor, gostei.
Tô com inveja de como tem gente que escreve super bem, você inclusive.
hehe
beijinhos cariocas

Louise Oliveira disse...

Quando crianças é quase que normal a inveja pq nao a conhecemos, nao sabemos a causa e nem o propósito. Mas quando adultos, aprendemos que nao precisamos invejar pq temos a capacidade de conseguir o nosso e que será único e dessa forma até melhor que os dos outros, pq nao é igual a nenhum outro.
Tb nao aprendi isso assim rapidinho, mas quando caimos, nos levantamos mais sabios, né? rs
Bjs! Amigaaaaaa, te adoro de montão!
Lu

Isadora disse...

Meus amigos, obrigada pelas visitas e pelas palavras tão carinhosas que recebo sempre. O tema de hoje, é pra lá de quente, não é?
Um beijo

Bordados e Retalhos disse...

Isa, nós somos humanos mesmos e temso esses sentimentos nem tão nobres. Hoje soutranquila quanto a inveja. Não tenho medo dela e nem medo que tenham inveja de mim.Deus é maior que tudo, tenho certeza. Mas preciso trabalhar outros sentimentos.Estou cuidando pra viver melhor, ms ainda me pego fazendo ou pensando cada coisa! Bjs

HSLO disse...

A inveja atrasa a vida de qualquer pessoa. Um vez eu percebi que um amigo meu estava com essa coisa ruim (a inveja) por um outro amigo meu....Então resolvi sentar e conversar com ele, alertado o quanto é horrível isso para alma de uma pessoa.
Acredito que resolveu, viu.

abraços
de luz e paz

Hugo

Lúcia Soares disse...

Isadora, você falou bem. Temos nossas fraquezas, todos, e precisamos tentar nos elevarmos e ser melhores.
A inveja é um sentimento ruim, que basicamente fere o invejoso, ao invés do invejado.
Desejar algo que o outro tem, sem querer "tomar" dele, nem que ele o perca, etc. não é invejar. É admirar e se frustrar por não ser igual.
Continuo achando que nunca fui invejosa, pois nunca desejei ter o que não era meu, nem ser como alguém, simplesmente para "pulverizá-la". Desejei, sim, ser sempre melhor do que sou, unir minhas qualidades às de outras pessoas.
Complicado, mas estou começando a analisar-me melhor.
Beijo e bom fim de semana.

(Fiquei sumida e agradeço todos os comentários que sempre faz lá no meu blog. Você me é muito querida).

Macá disse...

Isa
Que jeito bonito de escrever esse seu. Tão gostoso de ler!
Você me deixou com inveja. E agora? rsrsrsrs
Mas pelo que estou lendo, acho que ninguém vai ser contra: todos, em algum momento (ou em muitos) já sentiu inveja, e se ela não for destrutiva, acho que tudo bem. É uma forma de irmos em frente.
beijos

Daniel Savio disse...

Eu não diria que a inveja seja ruim, mas se ela não é canalizada para fazer obter o que queremos com as nossas próprias mãos, ai sim, é ruim...

Fique com Deus, menina Isadora.
Um abraço.

Meru Sâmi disse...

Oi, menina,
Quando nôs sentamos para falar de algo constrangedor, é como se nõs desnudasse perante o outro. Contudo, sempre que fazemos isso, é um alívio poder encarar o outro de frente, abraçá-lo e seguir em frente, não?!
Agora, para quem varre a sugeira para debaixo do tapete, sempre há a possibilidade de ela vir à tona numa hora errada (se é que é mesmo errada!).
Eu gostei do seu post.

Beijos.

Cantinho She - Sheila Mendonça disse...

Simplesmente sensacional, parabéns!
Beijo, beijo!
She

Mari Amorim disse...

Isadora,querida
gostei muito do post,acho a inveja o pior sentimento que existe,agora quanto a matar,acredito que faça muito mal,a quem nutre esse sentimento,todos os sentimentos são reflexos da alma.
Bfs com boas energias sempre!
Mari

Angélica disse...

Oii! Adorei conhecer o seu blog, voltarei mais vezes. :)
Bjsss!

Pelos caminhos da vida. disse...

Eu já senti tb mas por bobeira.

Bom fim de semana amiga.

beijooo.

Françoise disse...

Oi amiga Isa,
Saudades de você, do seu carinho de sempre,

Gostei do seu texto e da sinceridade, jeito forte de dizer que é humana e que luta pra melhorar sempre. Exemplo pra muitos que demoram pra buscar a sabedoria na vida indo ao encontro do que necessitam ou tanto desejam com "suas próprias pernas"......

Abraço bem apertado ,
Curta o final de semana!!!!

Socorro Melo disse...

Um conto interessante, Isadora, e uma lição de vida que trazes para todos nós.
Bonita a sua atitude de falar sobre uma experiência pessoal.
Todos nós, humanos, estamos sujeitos a vez por outra sentirmos esses sentimentos pequenos,mas, admitir nossa fragilidade humana, aceitar nossos erros e aprender com eles é riqueza de caráter, e nobreza de alma.

Um grande abraço
Socorro Melo

Flor de Maio disse...

adorei a forma que abordou o tema, belas palavras e como foi bom compartilhar com vc, mostrando que somos humanos e temos bons e mals sentimentos dentro de nós. E a trilha sonora Conte...amei!!!!

Fatima Guerra disse...

Isadora querida

É sempre estimulante estar perto de vc, sentir sua ternura e energia.
Falar sobre a inveja é intrigante, pois faz com que examinemos o próprio coração...
Acredito que a inveja seja severa insegurança, pois quem acredita em si mesmo não precisa sofrer pelas conquistas alheias .
Tenha um lindo final de semana!
Carinho sempre, beijo
Fátima Guerra

Gilmar disse...

Sensibilizar é desafiador! É um desnudar-se, com extremada delicadeza e franqueza. Exatamene como a sua "fala", aqui oferecida, Isadora!

E o que é convidativo, em seu desfecho, é a possibilidade de mergulhar prá dentro de si, revolver (in)compreensões, achar-se, encontrar-se. Saber-se em processo, numa prática revisionista de pressupostos. Saber-se humano, sujeito ao erro, mas também cultivando a humildade da escuta ativa. Aprender a aprender!

Meu carinho a você, Isadora!

EDER RIBEIRO disse...

A inveja é o espelho do mau. Bjos.

diariodumapsi disse...

Ei, Isa, desculpe só conseguir chegar aqui agora...Seu texto está ótimo!
Ninguém está imune à inveja, é um sentimento humano, pois como disses ninguém pode ter tudo!
Mas também podemos aprender com nossos sentimentos negativos!
Obrigado pela presença e pelo carinho em meu blog!
Gd beijo querida

diariodumapsi disse...

Ei, Isa, desculpe só conseguir chegar aqui agora...Seu texto está ótimo!
Ninguém está imune à inveja, é um sentimento humano, pois como disses ninguém pode ter tudo!
Mas também podemos aprender com nossos sentimentos negativos!
Obrigado pela presença e pelo carinho em meu blog!
Gd beijo querida

Amica Philosophiae disse...

Inveja, quem não sentiu?!! Afinal somos humanos!!
Lindo seu texto
Abraço
Cynthia

Luma Rosa disse...

O melhor de você ter confessado que sentiu inveja, foi ter se redimido e ido ao encontro do ser que você admirava. Esta compreensão compartilhada provou que tem uma amiga de verdade! É difícil admitir sentir inveja e ir de encontro à ela é mais difícil ainda! Bom Domingo! Beijus,

Ester disse...

Uau amiga, estou de pé aplaudindo! Que lição de vida, quem tem sabedoria tem e ponto!

"Aceita sem crucificar-te que és humana e por isso passível de erro e que o que sentiste não a faz pior do que ninguém. É assim mesmo todos vivem sentimentos contraditórios, sentimentos que vão de encontro ao que consideramos correto e bom"


Como é difícil aceitarmos assim com toda maldade e bondade que há em nós,

puxa, foi ótimo passar por aqui e aprender mais uma grandiosa e inesquicível lição! Obrigada por essa preciosa partilha,

beijinhos,

Lis. disse...

Bom dia carioca...

E já que a inveja está ficando para trás,
por quantas anda a visita a este rapaz?

Beijos... Lis.

Manuela Freitas disse...

Olá querida Isadora,
Sentir inveja é perfeitamente natural, de facto «errar humano es», mas sentir uma grande inveja e indo até consequências bastante graves, isso eu considero que precisa de qualquer terapia.
A inveja pode nos fazer dar um pulo em frente, pode-nos revelar aspectos da vida desconhecidos, como tudo tem os seus prós e contras.
Beijinhos,
Manú