17 de maio de 2010

Branco - Blogagem Coletiva

Esta é a última semana da blogagem coletiva organizada pela Glorinha, do blog Café com Bolo - cafecomglorinha.blogspot.com que alegrava a todos nas segundas. Para fecharmos a blogagem, a cor  escolhida é BRANCO.
O Branco simboliza também a paz e, talvez, assim seja, por ser uma cor associada à espiritualidade, à sociabilidade, revelando trasparência de personalidade, facilitando a comunhão e o relacionamento entre as pessoas.
Lendo os jonais e assistindo aos noticiários vemos que vivemos em um mundo cão. As pessoas se agridem e matam por motivos banais (não acredito que motivo algum possa levar alguém a matar), crianças são mau tratadas por quem deveria cuidá-las, guerras são deflagadas e muitas vezes, nós mesmos somos responsáveis pelo nosso caos e consequente falta de paz por intolerância, egoísmo, inveja.
Aproveito a blogagem para levantar a bandeira e pedir PAZ!



Bandeira branca, amor
Não posso mais.
Pela saudade,
Que me invade eu peço paz.
Bandeira branca, amor
Não posso mais.
Pela saudade,
Que me invade eu peço paz.
Saudade, mal de amor, de amor
Saudade, dor que dói demais
Vem, meu amor
Bandeira branca eu peço paz.

(Dalma de Oliveira)


O Vstido e as Flores

A menina chorava copiosamente. Tanto que seus olhos ficaram marcados pela vermelhidão. Era um choro carregado de tristeza.

A mãe olhava para a menina com ar assustado.

- Minha filha, porquê você está chorando? O que aconteceu?

A menina entre um soluço e outro com o lábio tremendo balbuciou:

- O meu vestido, mamãe, o meu vestido.

A mãe sem entender nada perguntou:

- O que aconteceu com o seu vestido?

Passando a mão suavemente em seu cabelo e a enlaçando em um abraço tentava acalmá-la.

A menina aos poucos se acalmou e conseguiu responder:

- As flores que estavam no meu vestido sumiram. Já procurei em todos os lugares, mas não encontrei. Cadê as minhas flores, mãe?

Vestido? Flores? Do que a menina estava falando? A mãe rapidamente fez uma busca nos vestidos da menina, mas não conseguiu lembrar-se de nenhum vestido com flores.

- Filha, acho que você se confundiu. Você não tem nenhum vestido com flores.

- Claro que tenho mãe! É aquele branco.

Era verdade, ela tinha dois vestidos brancos, mas eram lisos.

- Filha, os dois vestidos brancos são lisos. Não tem flores.

- Mãe como lisos? - indagou a menina danada.Não estou falando do de alcinha. Estou falando do branco com mangas bufantes.

Instalou-se a confusão. A mãe tinha certeza de que não havia flores no vestido. Foi até o armário da menina e retirou o vestido. Talvez estivesse enganada.

Ao retirar o vestido do armário estava lá: branco, liso e sem flores.

A mãe estendeu o vestido para a filha.

- Ele está aqui e não tem flores.

A menina recomeçou a chorar e perguntou:

- Mãe, você acredita em mim?

- Claro, filha.

- Então, esse vestido tem flores sim, e são lindas. São pequenas e delicadas flores do campo salpicadas por todo o vestido, mas tem uma coisa que eu não te contei. Só eu consigo ver as flores e tenho certeza que alguém tirou as minhas flores daqui.

A mãe olhou para a menina incrédula. O que era aquilo? A menina não era dada a mentiras, porém era difícil acreditar no que ela dizia.

Será que a menina tinha algum dom que ela desconhecia?

A mãe pensou em como conduzir aquela questão. Após uns dez minutos, um pouco mais calma, pediu à filha que sentasse e disse que iria explicar o que tinha acontecido.

- Sabe, filha, às vezes isso acontece mesmo. As nossas flores somem. Alguém as tira da gente, mas não dê importância a isso. Lembre-se apenas que isso acontecerá muitas outras vezes ao longo da sua vida.
As suas flores crescerão e ficarão tão bonitas que um dia, alguém vai querer pegá-las.
Deixe que as pegue e ao invés de ficar triste porque pegaram suas flores, faça novas e lindas flores.
É claro que todas às vezes que isso acontecer você ficará triste, mas também sairá fortalecida. Saiba que sempre que teimarem em tirar-lhe as flores, eu estarei ao seu lado, segurando a sua mão e a ajudando a fazer novas e belas flores.

Mãe e filha se abraçaram e assim permaneceram por um longo tempo.

Mais uma lição e vida que segue. 

(Esse conto foi publicado e escrito por mim, em março/10)

32 comentários:

Felina Mulher disse...

Defino o Branco como sendo Paz e Paz é o que venho te desejar hj e sempre Isa.


Um beijo no teu core.

Tati Pastorello disse...

Isadora, que conto lindo! Estava lendo e pensando como a mãe sairia desta saia justa. Adorei o desfecho. Adoro quando uma situação difícil torna-se oportunidade de crescimento, afinal, é para isso que existem, né?
Vamos colocar novas flores em nossos vestidos!
Beijos.

Kimbanda disse...

Quando tudo corre mal as pessoas lembram-se de buscar em Deus consolação ou aquela luz que nos diz como agir.
Como seria bom ao procurarmos algo nas pessoas encontrasse-mos então tais ensinamentos.
De uma forma ou de outra. é nos momentos de paz que melhor raciocinamos e conseguimos transmitir aos outros o melhor pedaço de nós.
Em Paz e serenidade deixo o meu kandando.

Françoise disse...

Mulher que conto, que belo conto? Parabéns! Não sabia que também gostava de "escrevinhar" ...legal! Bela participação de encerramento.
Flores para você!!!!
bjos

Lu Souza Brito disse...

Isa,

Faço coro as meninas: Lindo conto e cheio de aprendizado.
Vamos vibrar pela Paz, pela Harmonia, principalmente aquela que se inicia dentro da nossa casa, entre os nossos familiares, pois ainda acho que uma familia bem estruturada e feliz é a base de tudo.
Beijos doces.

Bordados e Retalhos disse...

Isadora, tão profunda a história, com uma mensagem verdadeira e atual. Adorei! Bjs

Ricardo Calmon disse...

Minina Isadora Querida,sumidérrima de campos meus de girassois,escriba de ponta,bom ter voce de regresso a oráculo meu,mercbzu

viva la vida

Glorinha L de Lion disse...

Lindo conto Isadora! Fechou o branco com uma mensagem de beleza, de esperança...temos todos que acreditar nas flores do vestido branco...elas estão lá, é só olhar atentamente...lindo, amei! Beijos.

Beth/Lilás disse...

Isadora,
Linda sua participação na blogagem branca.
Parabéns pelo excelente conto!
bjs cariocas

Wanderley Elian Lima disse...

John Lennon, Dalva de Oliveira e Isadora, unidos pela paz. Amei.
Um beijos

Isadora disse...

Felina, obrigada pelo desejo de paz, o mesmo desejo sempre à você.

Tati, muito obrigada pelas palavras carinhosas!

Kimbanda é preciso de fato buscarmos a paz dentro de nós! Se fizermos um pequenos esforço encontraremos.

Fran, você é sempre muito carinhosa e suas palavras enchem de alegria esse cantinho.

Lu, querida, são essas palavras deixadas com carinho aqui que nos faz seguir. Obrigada por lê-las.

Giovana, obrigada por em meio as suas preocupações passar por aqui para deixar seu carinho.

Ricardo nem tão sumida - rs. Procuro sempre dar uma passadinha e ler o que os amigos escrevem. O que não dá tempo algumas vezes é deixar um comentário. Obrigada pela visita.

Isadora disse...

Glorinha, obrigada a você por ter tido essa ideia maravilhosa. Foi um prazer participar.

Beth e Wanderley obrigada aos dois por serem tão carinhosos e deixarem por aqui os rastros de gentileza. Um grande beijo

Lidia Ferreira disse...

Vim agradecer sua visita , espero que vc tb participe do Blog The best
Bjs
conheça tb o Blog http://corderosachoque22.blogspot.com

Fatima disse...

Gostei muito do conto!
Bjs e obrigada pelo carinho.

expressodalinha disse...

Isadora: obrigado por ficar seguindo o Expresso. De link em link a blogoesfera encurta caminhos. Vou ficar seguindo vc também. Um beijo.

C@urosa disse...

Querida Isadora, agradeço sempre suas gentis visitas e comentários lá no dimenor. Adorei sua blogagem, um conto lindo e emocionante, parabéns.

forte abraço

C@urosa

Marliborges disse...

Olá Isadora
"A blogagem coletiva nos faz percorrer e conhecer caminhos até então desconhecidos." É verdade
Lindo post. Ótimo conto, verdadeiro e oportuno. Paz e Bem.
Um grande beijo

Graça Pereira disse...

Isadora, minha linda
Adorei o teu post...o modo como encontraste para apresentar o branco... A história do vestido com flores...é um encanto...Parabens pela tua imaginação e o modo como construiste toda a trama...Adorei mesmo!
Beijocas
Graça

Chica disse...

Conto maravilhoso e emocionante. Linda bandeira a levantar :a da PAZ! Muito linda tua participação!beijos,chica

Isadora disse...

Lidia, vou entrar no blog sim pode deixar e obrigada pela vista.

Fátima, essa troca é muito bacana mesmo. Um beijo

Expresso de fato de link em link vamos nos aproximando mais e criando laços, ainda que via web.

Carlos, a sua visita e palavras carinhosas são sempre aguardadas.

Marli, obrigada sempre pelas palavras tão gentis. A sua blogagem ficou ótima também. Cheia de fatos curiosos sobre nossa história.

Graça, você também é visita sempre aguardada. Fico sem palavras para exprimir toda a minha gratidão por sua delicadeza.

Chica, também adorei seu último post. Lindo mesmo e obrigada por vir até aqui.

Um beijo a todos e muito obrigada

Noe* disse...

Adorei o conto e gosto muito de branco.
É sempre bom receber carinho, seja qual for a forma!
Obrigada sempre pelos seus comentários ;)
Beijos =**

Espaço Aberto disse...

Realmente o branco nos dá uma forte sensação de paz!
Você gostar de ler?
Se você gosta não poderá perder, em nosso Blog está sendo postada a dica de dois livros fantásticos.
Será que você já leu algum deles?
Um abraço carinhoso

Isadora disse...

Noe e Espaço Aberto obrigada pela visita e pelas palavras aqui deixadas.

Espaço Aberto que barato esse post sobre livros. Gosto muito de ler sim e passarei por lá para ver as dicas.

Lady disse...

Olá!
Seja muito bem-vinda ao meu cantinho.
Volte sempre que sentir vontade.
O branco sempre representará a Paz que tanto sonhamos para o mundo.
Linda postagem.
Ah, minha dinda Felina é uma pessoa muito especial pra mim.rs
Deixo aqui meu carinho e o desejo que sua noite seja especial.
Carinhosamente, Lady.
Bj

Dois Rios disse...

Oi, Isadora!

O branco transmite paz, é luz, emite claridade e suaviza a alma.

Quanto ao lindo conto que você escreveu, de fato há vezes em que perdemos de vista as flores do nosso caminho porém sempre haverá uma primaverá a (re)começar.

Beijo,
Inês

ღPat.ღ disse...

Muito especial amiga!
O Branco de fato celebra coisas maravilhosas, principalmente a paz!

Deixo um beijo com muito carinho e muito obrigada pela simpatia no TT.

Felina Mulher disse...

Vim te desejar uma boa noite Isa...belo amanhecer!

Irene Moreira disse...

Isa
Maravilhosa participação e amei a história - podemos perder as flores, mas elas voltarão a renascer.
A M@myrene também participa da Coletiva da Glorinha e fiquei mei num branco mas saiu.

Beijos

lis disse...

Oi Isa
Conto maravilhoso.
Vez ou outra nossas flores se perdem por aí.Nossos vestidos desbotam.
Fiquei emocionada , lembando dos amigos que perdi .
A vida segue mesmo.Sempre.E as flores voltam em outos vestidos.
abraços

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
Obrigada por acompanhar conosco a BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL... ainda tem tempo de vc se lançar nesa aventura...
Fique livre sempre!
Também postei sobre o romantimo do BRANCO nos vestidos longos... nas florezinhas do campo... que feliz coincidência!
Fique na mais perfeita paz e tenha ótima semana aí!
Bjs

Silenciosamente ouvindo... disse...

Aqui estou eu "em sua casa", atrevendo-me mas muito silenciosamente a roubar-lhe um pouco de tempo, neste dia(aqui)
quente. A magia da vida é algo que
eu aplico(penso que si,)e isso
incluí a magia dos outros/as que
vão vindo até mim, seja de que
forma forma for, como a dos blogues.
Tenho que me ir vestir para sair,
preciso de ir ao correio mandar
uma encomenda para uma princesa
que vive na Irlanda e que vai fazer
7 anos no próximo dia 27. É linda...linda...linda...e eu tenho
sempre uma vontade enorme de ir
ao seu encontro, mas nem sempre posso.Lá tem que ser, estou assim
para o não apetecer...mas por ela,
eu vou-me vestir para sair.
Por si, é a certeza da minha amizade num beijo afectuoso.
Irene

legalmente loira... disse...

adorei seu espaço!
lindo conto!
branco é uma cor adoravel....
estou tentando fazer novos amigos.
bjos com carinho.