24 de maio de 2010

Blogagem Coletiva: Colorindo a Vida - Riquezas




 Hoje, dia 24/05 encerramos a nossa blogagem coletiva proposta pela Glorinha (cafecomglorinha.blogspot.com). Para os que não acompanharam, a proposta era "Colorindo a Vida", onde uma cor era escolhida e nós escreveríamos o que viesse na cabeça. E para finalizar, a proposta foi deixar em aberto a escolha da cor para que escrevéssemos.

Na próxima semana iniciaremos, uma nova blogagem coletiva, " Vida Simples" organizada pela Mila (milasville.blogspot.com)

Diferente do que fiz nas anteriores, dessa vez deixo aqui para vocês um conto que escrevi.


Riquezas

Lá ia Ela como passo apressado. O vento a soprar-lhe a face e volta e meia a embaralhar seu cabelo salpicado de pequenas margaridas brancas.

Embora apressada se permitia bailar de faixa em faixa. Ora no verde, ora no azul, por vezes no lilás. Percorria o arco-íris tencionando chegar ao final e encontrar o tão falado pote de ouro.

Já estava bem pertinho e podia ver o caldeirão, cinza chumbo, mas não avistou nada reluzente.

Quando, finalmente, chegou percebeu que não havia ouro, apenas um caminho de pedra, cujo final não podia ver, mas mesmo assim decidiu seguir e depois de tanto andar deparou-se com um casarão margeado pelo jardim mais belo que já tinha visto. Por ali viu flores até então desconhecidas.

Já na porta notou que não havia campainha e resolveu bater. Uma voz que vinha do interior disse:

- Pode entrar, a porta está aberta.

Ela entrou ressabiada, mas logo o medo desvaneceu. Sentada ao fundo, em uma poltrona, viu  uma senhora que aparentemente contava com muitos anos. O que mais chamou a sua atenção foi que o lugar era tomado pelo branco, exceto pela poltrona roxa e pelas grossas linhas coloridas dos novelos de lã. E assim, em meio ao branco sentiu a sensação de paz percorrer seu corpo. Ainda envolta nessa aura foi chamada a realidade, pela voz aveludada.

- No que posso ajudá-la? – Perguntou à senhora

- Bem é que segui o arco-íris achando que no final encontraria o pote de ouro, porém a única coisa que encontrei foi o caminho de pedra que me trouxe até aqui.

- Ah, minha filha, eu já estou acostumada com isso, mas que bom que você chegou até aqui. Alguns chagando ao final e não encontrando o pote de ouro apenas dão meia volta.

- Mas onde está o pote de ouro?

- Essa pergunta é fácil responder. Está com você.

- Comigo? Posso lhe assegurar que não tenho nenhum pote de ouro.

- Tem sim, minha filha, apenas não está sabendo olhar e é por isso que eu estou aqui, para ajudar. O seu pote de ouro nunca saiu do seu lado. O que acontece é que todos os que chegam até o final esperam encontrar riquezas materiais, porém a riqueza que se encontra dentro do pote é outra.

- Desculpe senhora, mas eu não estou entendendo.

- Vou explicar. Você chegou até aqui e se surpreendeu por não encontrar a riqueza, o ouro, mas a riqueza que realmente importa é a que você tem e não consegue perceber. É a riqueza dos bons sentimentos que carregamos dentro de nós. Por isso precisamos apurar o olhar para que possamos então reconhecê-los como riqueza.

A menina entendendo o que a senhora queria lhe dizer, sorriu, estalou um beijo em sua bochecha e fez, calmamente, o caminho de volta.

 Se tiverem chegado até o final do conto, lhes sugiro escutar essa versão de Somewhere Over The Rainbow. Simplesmente linda!





26 comentários:

ღPat.ღ disse...

Especial Isadora...
O grande tesouro está dentro de nós mesmos, mas teimamos em desviarmo-nos dele.

Um beijo com carinho e muita luz.
Pat.

Marliborges disse...

Querida Isadora,
A música é linda, mas o conto é melhor ainda. Você é uma contista muito talentosa hein! Dá gosto ler os seus textos, taí o seu pote de ouro! Desfrute-o, com cuidado e atenção. Bjssssss

Mila Viegas disse...

Adorei!
Muito dificil falar de uma cor só né?
Beijos grandes!

Lu Souza Brito disse...

Vou reparar direitinho para achar meu pote de ouro Isa e nunca esquecer que ele está sempre ao meu lado.
Lindo conto!
Essa música é tãaaaaaao linda. Tenho vontade de sair dançando na ponta dos pés com os olhos fechados enquanto a ouço.
Faço sempre isso quando uma música toca mais que meu coração, mas também minha alma!
É uma maneira de imprimí-la em meu corpo....

Manuela Freitas disse...

Gostei muito do teu conto Isadora, porque tudo começa e está em nós mesmas, às vezes é que andamos cegas!...
A canção é um clássico da música ligeira, quem a pode esquecer?
Beijinhos,
Manú

Glorinha L de Lion disse...

Música e conto lindos....amei! Beijos.

Noe* disse...

Olá ^^
Tem um selo pra vc no Retalhos de amor!!!
Espero que goste ;)
Beijos e linda semana =*

Fátima disse...

Muito lindo e verdadeiro esse conto! Nem sempre damos o devido valor ao pote de ouro que sempre carregamos connosco, por isso foi importante esse conto para fazer-nos pensar e voltar os nossos olhos para dentro de nós ;)

Beijo

Beth/Lilás disse...

Que lindo post, que linda música!
Parabéns Isadora, fechou com chave de outo.
bjs cariocas

Bordados e Retalhos disse...

Isadora, adorei...fiquei pensando quantas tesouros tenho dentro de mim. Infelizmente não consegui ouvir a música para coroar minha leitura com chave de ouro. Bjs

Tati Pastorello disse...

Isadora, não sairei da sua página tão cedo. Vou deixar esta versão tocando aqui por um tempinho... Que gostoso...
A música já é linda por si só, nesta versão está dançante, mais linda. Misturada com What a wonderful world. Dois hinos à felicidade e à esperança misturados. Incrível. Que achado!
E seu conto não fica atrás. Li feliz, aproveitando cada palavra. Você escreveu de um jeito que parece que desenhou e coloriu, com aquarela! um texto que nos faz visualizar as cenas. Adorei!
Beijos.

Mari disse...

Isadora querida,

Tudo lindo amiga, o texto...a imagem!
Bom pra começar a semana!
Beijos

Lúcia Soares disse...

Isadora, um conto lindo, uma história verdadeira. Procuramos pelas coisas que estão ao nosso alcance e não vemos.
No fim do arco-íris não pode ter um pote com um tesouro.
O verdadeiro tesouro está em nossos corações, em nossa mente, em nossa alma.
Boa semana!

Sandra Botelho disse...

Temos um tesouro dentro do nosso ser...Mas as vezes somos cegados pela gana por mais. E perdemos o foco de nós mesmos. Lindo texto. Reflexivo. Bjos achocolatados
A musica é doce.

Luciana P. disse...

Muito lindo o seu conto, Isadora, essas cores todas entremeio ao texto deram um charme especial à narrativa. Parabéns pela inspiração! Beijos!

Carmem L Vilanova disse...

Isadora, linda!
Venho agradecer a visita de todos estes dias que não pude estar tão presente à blogosfera como gostaria. E, em segundo lugar dizer que adorei a tua versão de "Colorindo a Vida"... Lindo, muito lindo!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Isadora disse...

Pat, obrigada pelo carinho, sempre!

Marli, você é sempre muito gentil. Suas palavras colorem os comentários.

Mila, obrigada por passar por aqui.

Lu, o potinho está com você sempre. Tenho certeza e dancemos pois faz um bem danado a alma.

Giovana, pelo pouco que a conheço (através de sua escrita) tenho certeza que você tem um pote enorme de riquezas.

Tati que a música tenha alegrado ainda mais seu dia. Obrigada pelo carinho.

Beth, obrigada pela visita e pelo incentivo.
Fátima fico muito feliz que tenha gostado.

Glorinha, obrigada pela visita e por essa ideia maravilhosa.

Noe, já fui buscar meu selinho. Ainda essa semana colocarei aqui. Obrigada pelo carinho.

Mari, é uma honra tê-la por aqui. Obrigada pela visita e pelas palavras.

Isadora disse...

Manuela, obrigada pelos comentários. É isso que nos incentiva e nos faz continuar.

Lúcia foi isso mesmo que quis dizer com o conto. Temos tantas riquezas e muitas vezes esqueçemos de olhar para dentro de nós.

Sandra precisamos ter um olhar atento.Obrigada pelo carinho.

Luciana obrigada pela visita e pelas palavras, sempre, carinhosas.

Carmem passar por lá e ler seus textos é um prazer. A vida é corrida mesmo, mas que bom que você esteve por aqui.

Felina Mulher disse...

Oi Isa, desculpa a minha ausencia...até minha inspiração resolveu retirar-se,mas foi muito bom ler teu texto, rico de inspirações.

Um beijo.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Que lindo Isadora!!!
Nossa, tocou meu coração...muito bonito! Vc escreve muito bem flor!!! Parabéns!!! E a música...sem comentários...ai ai...

Então menina!!! Ficarei por aqui, tô tão feliz! Vou precisar me acostumar c/ o pc novo rsrsrs sou uma cabeçudinha pra essas coisas hahaha...
Beijinhos Isadora.

Flores e Luz.

Luma Rosa disse...

Este pote de ouro! Quem não quer? Mas assim como o arco-íris é ilusório! Sua crônica bem pode ser interpretada como uma lenda!
Vou te contar uma coisa: quando era pequena, minha mãe dizia que só enxergavam o arco-íris pessoas que tinham fé e eu, todas as vezes que me deparava com o arco-íris me sentia 'especial' e isto alimentou a minha fé vários anos. Quando descobri que não era bem assim, este fato rendeu em casa várias gargalhadas entre meus irmãos e algumas histórietas de mamãe. Onde quero chegar? Minha mãe faleceu no último dia 28 e no momento em que sua lápide descia, uma chuvinha fininha caiu (casamento de viúva?) - nós olhamos para o céu e lá estava o arco-íris. Alguém disse "um presente do papai do céu", outra pessoa disse "a chuva quer dizer que foi direto para o céu - lavou a alma", daí a minha irmã simplesmente disse "Mamae mandou recado, precisamos continuar com fé". Acredito que seja isto realmente, porque seria muita coincidência se nao fosse. Já disseram: A fé nos anima! E a sua menina da crônica e de tantas crônicas, só precisa acreditar!

*Não vou reler o comentário e se tiver algum erro, desculpe! Se ler não publico! Beijus,

legalmente loira... disse...

isadora, acabei comentando abaixo ai iaiii.
adorei a participação de voceis sobre as cores.
o conto é lindo bela inspiração e a música pefeita.
bjos millllll

Silenciosamente ouvindo... disse...

Minha amiga, gostei muito da iniciativa de que também participei
do dia da cor. Encontrei coisas
fantásticas, como no seu blogue.
Felizmente vamos nos encontrando.
É de facto dentro de nós mesmos que
temos que encontrar todas as forças.
Um beijinho grande e obrigada pela
sua visita ao meu blogue.
Irene

Irene Moreira disse...

Isa
Linda história e belíssima apresentação fechando com chave de ouro. Fiquei emocionada e mais ainda qunado li o comentário da Luma Rosa e é isso temos que continuar a nossa vida e com fé.

Estou pidona, mas também quero colocar na vitrine este conto.

Beijos e um bom dia

Hod disse...

Oii querida Isadora, legal a brincadeira. vou participar sim...obrigado por convidar-se...durante a semana faço a postagem.

beijos...

Ivy disse...

Oi Isadora, vim agradecer sua visita e aproveitei pra ler seu conto, muito legal.
Sem dúvida, realmente, o que importa é a riqueza que temos dentro de nós, só temos que percebê-las. E vc, com certeza, já percebeu a sua. Parabéns!
Bjs... e volte sempre.