6 de maio de 2011

O meu amor pelos livros. E o seu?

Não sei ao certo com quantos anos mas ainda pequena, minha mãe me presenteou com duas coleções maravilhosas e que fizeram parte da minha infância/adolescência. Se vocês me perguntarem qual a série, eu comecei a ler primeiro, confesso que não lembro.

O que lembro muito bem é que devorei as duas séries e minha mãe ficou louca tentando encontrar livros novos. Toda semana eu ganhava um livro. Eram pequenos e finos e assim, eu lia rapidamente.

Assim começou esse meu grande amor pelos livros, e, ainda hoje, passados alguns anos (ok, vários anos) esse amor me acompanha e cresce fazendo com que minha casa abrigue muitos livros dos quais não tenho coragem de me desfazer ou passar adiante.

Brinco que quando eu estiver velinha sentarei em uma confortável cadeira e passei horas e horas relendo os livros que marcaram algum momento da minha história.

O início de tudo:

A Turma do Posto 4: série infanto-juvenil protagonizada por uma turma de amigos: Lula, Príncipe, Pavio-Apagado, Cidinha e Carlão. Juntos, essa turma de Copacabana desvendavam os mais complicados mistérios.






Outra série infanto-juvenil. A protagonista da história era uma menina chamada Eloísa, que morava com os pais em uma fazenda no interior de São Paulo. Junto a outros amigos, da fazenda, formavam a Patota da Coruja de Papelão e desvendavam os mistérios da pequena cidade.

Qual foi o livro que deu início ao seu amor pelos livros? Se vocês quiserem fazer um post contando a sua história é só encaminhar um e-mail para: tantoscaminhos09@yahoo.com que terei o maior prazer em publicar aqui.

Ou se você preferir nos conte através dos comentários. Vou adorar ler a sua história.

Um beijo

14 comentários:

Luciano A.Santos disse...

Isadora,

Também comecei a ler muito cedo, e me lembro bem do primeiro kit que ganhei da minha mãe: ele continha vários livretos baseados nos personagens Disney, e desde aquela época Donald era meu preferido.

Grande abraço, e bom fim de semana.

Bia Jubiart disse...

Oi Bella Isa!!!

Adorei saber um pouco mais de sua história através dos livros...

Não tive tato incentivo, mas a paixão pelas letras foi a primeira vista...
Gostei da sugestão, farei um post...
Só espero lembrar de linkar, acho que quarta-feira postarei.

Um feliz fim de semana com seus entes queridos... E "dia" das mães...

Beijossssssss

Claúdia Luz disse...

Boa tarde !!

Adoro a inspetora, quando li o caso da mula sem cabeça fiquei fascinada pela estória , depois comprei as outras . Minha segunda filha também gostou . Tentei comprar a coleção não consegui . Foi muito bom lembrar deles .

Uma linda tarde !! Mil beijos !!

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, Isadora! Eu não tenho um livro específico que me fez apaixonar pela leitura,mas tenho uma situação, que citei certa vez num texto e reproduzo aqui um trecho.

A escola indica clássicos e famosos para crianças em formação. Talvez queira mais status para si (a escola) do que formar educandos. Como compreender esses autores aos nove, dez anos e gostar de ler? O problema pode ser o método, a forma, as indicações. Acho que foi na época errada, na medida errada o que me mandaram ler. Acabei tomando gosto através dos gibis, dos jornais que via meu pai lendo, dos livros sobre ervas e plantas que via minha mãe lendo. Fico hoje tentando me redimir com o Machado e todos os clássicos ao meu alcance, lendo. Agora, sem nota, sem medida. Puro prazer.

Adorei sua abordagem e a proposta. Obrigado e um abraço. Paz e bem.

Lúcia Soares disse...

Isadora, já li tanto na minha vida! Sinceramente, não me lembro qual o primeiro livro que li, nem sei dizer do que gostei mais.
Mas, diga-se, nunca fui "leitora-cabeça", gosto de histórias boas, mais romanceadas.
Nada filosófico, nada para me encucar. Leitura tem que ser como cinema: diversão, prazer, bom gosto, emoção.
Beijo!

Tati disse...

Oi Isa, eu amava aquela série: Para gostar de ler, e também tinha uma série muito interessante, que não lembro o nome, que você fazia escolhas, e estas escolhas mudavam o rumo da história. Foi uma primeira experiência de interatividade, mas num livro. Muito legal!
Mas dentre os livros infantis, eu destaco 3 paixões. Um, quando eu era menor, que foi A fada que tinha ideias. Acho que eu sou ela até hoje! E os dois outros, paixão pela história até hoje, são "A Bolsa Amarela" e "A casa da madrinha", ambos da Ligia Bojunga (na época) Nunes. Daí para Gabriel Garcia Marques é um passo! Adoro uma literatura fantástica. Beijos.

Betabijoux e Artesanato disse...

Oie, minha loucura por livros começou na terceira serie(acho que eu tinha,uns 9 anos),lembro que no meu colégio vendia uns livrinhos,e eu comprei OS MENINOS DA RUA PAULO,depois deste ,Aventuras de Tom Sawyer , As Viagens de Tom Sawyer e Tom Sawyer Detetive, de Mark Twain ...até hj com 46 anos ,eles me acompanham me divertindo, ensinando, me fazendo companhia,me fazendo sonhar e viajar....

VaneZa disse...

Eu não sei bem se ele foi o primeiro... mas ele marcou muito a minha vida:

É Proibido Miar do Pedro Bandeira.

Tiveram outros... mas esse teve um valor especial pq depois de muitos anos, já adulta, eu fui entender claramente a mensagem que ele passava, e fiquei muito feliz por ter lido algo tão importante e profundo ainda quando criança.

Em 2003 eu resolvi pesquisar o nome do autor na internet, eu só lembrava do nome do livro, daí encontrei um texto de um jornalista chamado Daniel Aurélio... e nesse texto ele me fez reviver toda a leitura, toda a emoção que tive ao ler o livro ainda criança. E o que mais me emocionou foi a forma com que ele encerra o texto...


"Pois saibam, damas e cavalheiros, que os primeiros filhos da geração Pedro Bandeira cresceram. E agora já começam a soltar seus primeiros miados incômodos de desabono.

É proibido proibir, esqueceram?"

Perfeito, não? Acho que vou escrever um post sobre isso... afinal... estou vivendo um momento onde estão tentando me proibir de miar.

Se quiser ler o texto todo na íntegra este é o link:

http://www.digestivocultural.com/colunistas/coluna.asp?codigo=1176&titulo=Canto_Infantil_N%BA_1:_E_Proibido_Miar


BeijoZzz... tô com saudades de ti (saudades despretensiosas, viu? rs).

C@urosa disse...

Bela e inteligente sugestão minha querida amiga Isadora, o livro é um marco na vida da gente.

Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem por que ama, nem o que é amar...
Alberto Caeiro

forte abraço

C@urosa

welze disse...

Isa querida, passei para lhe desejar um lindo dia das mães. beijos

diariodumapsi disse...

Ei Iza!
Sempre fui uma devoradora de livros, minha adolescência toda foi viajando através dos livros.
Agora leio bem menos, mas lembro que um dos meus livros favoritos da infãncia foraam a Ilha perdida e Poliana menina .
gd beijo

♪ Sil disse...

Isa,

Não sei ao certo o primeiro livro que me abriu o mundo da leitura, mas lia muitoooo Monteiro Lobato, e algumas coisas na escola que tbm não me lembro rs.
Mas acho que no meu tempo, o gosto pela leitura era muito mais incentivado nas escolas.
Tinhamos que ler sempre um livro por semana, e isso pra mim era uma delicia.
Hoje, eu penso que as escolas não incentivam tanto os alunos a isso, o que acho uma pena.

Um abraço imensooo pra ti, tbm ando com meu tempo em conta gotas, mas saiba que jamais esqueço você!

Palavras Vagabundas disse...

Isa,
que ideia maravilhosa, não me lembro do primeiro livro... me lembro de muito Monteiro Lobato, de uma coleção dos Irmãos Grimm e como disse a Tati daí para Machado, Guimarães Rosa e outros é um pulo.
bjs
Jussara

Camille disse...

Eu sei qual foi o primeiro. Eu fui com meu pai e escolhi na livraria. Eu tinha de 8 pra 10 anos. E nada de MOnteiro Lobato. Escolhi um livro "Historia de um Primeiro Amor". Nossa! Me atraquei com aquilo, hehehehe. Era uma historia passada na Australia, nas ferias de uma menina e um menino e eles sao o primeiro amor um do outro. Sao so aquelas ferias, me lembro de uma cena em que ele pega uma faca, enfia num formigueiro e aquilo volta com suco de formiga e eles bebem. Tudo parecia genial na Australia, inclusive um primeiro amor. Depois desse, virei uma leitora,e scolhendo os livros por minha conta e alguma ajuda dos donos da livraria. Mas ninguem me fez ler coisas que eu nao nao quis, que todo mundo lia.
Me lembro de antes, no colegio ter lido As Meninas e os Desatres de Sophia, livros que minha mae tb tinha lido. Gostei muito . Mas o que me fez ser uma leitora de fato, doi esse que falei, da Australia e do primeiro amor.
Beijos,
Cam