10 de janeiro de 2011

Você tem ideia de quanto tempo faz?

Outro dia estava vendo umas imagens para um post e me deparei com uma matéria: 50 invenções que mudaram a vida e parei para ler.

Confesso que fiquei surpresa, pois alguns itens que hoje fazem parte do dia-a-dia foram criados há muitos e muitos anos. Vejam só:


Celular 1983
Há 20 anos a Motorola mostrava ao mundo o primeiro aparelho de telefone móvel, o DynaTAC 8000X (esq.). Tinha capacidade para uma hora de conversação, oito horas de stand by e - pasmem - pesava 800 gramas.











TV em cores 1972
A primeira transmissão em cores no Brasil deu-se em 1972, durante a Festa da Uva de Caxias do Sul, RS, terra natal do então presidente Emílio Garrastazu Médici. As primeiras imagens foram vistas em aparelhos importados, mas meses depois a brasileira Semp já começaria a fabricar os primeiros televisores coloridos no Brasil. A diferença em relação aos ancestrais aparelhos em preto-e-branco estava no canhão, que projetava três feixes de elétrons nas cores verde, azul e vermelha - sincronizadas, geravam as imagens coloridas.



TV de plasma 1998
No que diz respeito a televisor não há nada mais high-tech e caro do que os modelos de plasma. Eles foram criados em 1998 na Ásia e chegaram ao Brasil logo depois. A LG é a única empresa que os produz por aqui.





 

LCD (Liquid Crystal Display) 1999
Uma TV melhor que a convencional, mas mais grossa que a de plasma, o LCD foi desenvolvido na Ásia recentemente. A marca LG começou a produzir monitores com esta tecnologia em 1999; as TVs, em 2000. Trata-se de um líquido composto por moléculas que, ao receberem descargas elétricas, realizam movimentos, gerando imagem.



Cafeteira elétrica 1978
A primeira empresa a introduzir a cafeteira elétrica no Brasil foi a Melitta, em 1978 - dez anos após lançar no país o filtro de papel, que substituiu o de pano. Depois disso, outras marcas surgiram no mercado. A empresa abandonou o segmento. As cafeteiras elétricas atuais contam com mais recursos do que as pioneiras, que se restringiam a preparar o café.




 


Filtro de café 1968
Cansada de receber reclamações do marido quanto ao sabor do café, diferente a cada filtragem, a alemã Melitta Bentz decidiu fazer um teste: coou a bebida num papel do tipo mata-borrão em vez de usar o pano. O marido aprovou e, em 1908, era criado o filtro de papel. O método demorou a chegar ao Brasil, somente em 1968. Recentemente, a Melitta lançou um novo modelo com costura dupla para evitar rompimento.


Válvula hidráulica 1932
Para atender às casas térreas, que sofriam com a falta de pressão para acionar a descarga, Antonio Ferraresi e Attilio Ricotti inventaram, em 1932, a válvula Hydra. A primeira foi chamada de Liss (esq.) e chegava a consumir 20 litros de água por acionamento, além de ser toda de bronze - superpesada. Com o passar dos anos, a Hydra evoluiu, popularizou-se e deixou de ser privilégio só das casas.



Purificador de água 1984
A empresa brasileira Europa é pioneira no conceito de purificação de água. Antes dela, só existia o sistema de filtragem, que retira impurezas sólidas. O primeiro purificador produzido pela marca, o Export Line, lançado em 1984 (esq.), apresentava duas câmaras. Numa era feita a filtragem padrão e na outra, a purificação: tratava-se a água quimicamente, eliminando odores e sabores. Nesta etapa também inibia-se o desenvolvimento de microorganismos - mas sem eliminá-los totalmente.


Telefone sem fio 1993
O telefone sem fio não é uma invenção recente. Não muitos anos depois de Alexander Gram Bell inventar o primeiro transmissor de voz, em 1876, um padre brasileiro, Landell de Moura, já patenteava um modelo rudimentar de telefone sem fio, em 1901 - invento que não "pegou". A praticidade só foi reconhecida no final do século 20. Na década de 80, algumas versões importadas chegaram ao Brasil. A produção nacional só começou em 1993, com a Semp Toshiba.





Fogões

Autolimpante 1987
A Brastemp mostrou o primeiro fogão com forno autolimpante, o Maison Classique Autolimpante (foto), em 1987. Suas paredes são revestidas com um esmalte especial, em cuja composição vão agentes oxidantes. Eles eliminam manchas de óleo e gordura durante o tempo em que o forno estiver em uso.



 

Videogame meados dos anos 70
Quem tem mais de 30 anos certamente lembra-se do Atari 2600 (esq.), lançado no final da década de 70. Pac Man, Enduro e Alien eram alguns dos jogos clássicos. O avô dos videogames atuais tinha imagem chapada e poucos recursos, mas reinou absoluto no mercado até ser desbancado pela Nintendo no final dos anos 80.




Máquina de escrever elétrica 1961
Foi a IBM que, em 1961, exibiu a inovadora máquina de escrever elétrica Selectric ou Golfball (foto), inventada pelo norte-americano Eliot Noyes. Ela foi revolucionária porque as barras de tipos foram substituídas por uma unidade de cilindro montada num pequeno suporte, que se movia da esquerda para a direita enquanto se datilografava.



Câmera digital 1996
As câmeras digitais chegaram ao Brasil em 1996, trazidas pela Casio. QV-10 foi o primeiro modelo: tinha memória baixa (pouco maior que a de um disquete) e qualidade de imagem ruim, suficiente apenas para ser transferida para o computador, jamais para ser impressa. Além disso, funcionava com pilhas, que duravam pouco tempo devido ao grande consumo do visor de cristal líquido.




Computador 1978
Em 1978 chegava às lojas, inclusive no Brasil, o primeiro computador pessoal, o Apple II, desenvolvido pelos norte-americanos Steve Jobs e Steve Wozniak. Mas foi o Macintosh (esq.), também da Apple, criado em 1984, que realmente revolucionou o mercado pela facilidade de ser operado: apresentou tela de alta definição, ícones gráficos e sistema de escolha pelo mouse. Os produtos da Apple hoje em dia são famosos pelo ousado desenho e avançada tecnologia.


Colchão
Estima-se que os primeiros colchões tenham sido desenvolvidos pelos romanos e eram recheados de materiais orgânicos, como palha, pêlo de animal, algodão, lã ou penas. O problema é que este tipo de enchimento estava sujeito a ataques de bichos, bactérias e fungos. O produto foi se aprimorando até que, em 1871, o alemão Heinrich Westphal inventou o modelo de molas, que continua sendo aprimorado até hoje e ainda é um dos mais indicados. Os de espuma só foram surgir na década de 50 e também são encontrados nos dias de hoje no mercado.

Batedeira 1958
Pouco práticas e imitando o design dos modelos industriais, as primeiras batedeiras domésticas apareceram em 1918. Só a partir da década de 50 ficaram mais fáceis de manusear. A Arno foi a primeira a produzir o eletrodoméstico no país, em 1958 (esq.). De ferro, tinha tigela de vidro grosso, tornando o conjunto bem pesado. No Brasil, em 1978, a mesma empresa lançou a Planetária, que inovou por ser a única batedeira não-profissional adequada a todos os tipos de massas, inclusive as mais duras, como as de pães. Reunia movimentos de rotação em seu próprio eixo e ao redor da tigela, substituindo as mãos - vantagem inédita até então.

Ar-condicionado 1958
O sistema mecânico de condicionamento de ar foi inventado em 1902 pelo engenheiro nova-iorquino Willis Carrier, mas foi só nos anos 50 que teve início a produção em massa dos ar-condicionados residenciais, inclusive no Brasil. Os primeiros modelos, lançados em 1958, de janela, chamavam-se Regency (foto de cima) e Coronet. Tinham capacidade de 10.000 e 12.000 BTU, além de precário sistema de filtragem. Gastavam mais energia e eram barulhentos. Nos anos 90, a Springer introduziu no Brasil o conceito split, já existente há 20 anos na Ásia. A diferença para o modelo de janela é que, nesse caso, a condensadora (parte ruidosa do aparelho) é colocada do lado de fora do ambiente, enquanto a evaporadora fica dentro - sem risco de barulho.







Revestimento antiaderente 1980
A francesa T-Fal criou, em 1959, a primeira frigideira antiaderente. No Brasil, a peça só chegou em 1980. A marca inovou mais uma vez ao lançar, em 2001, o Thermo-Spot: uma espécie de selo localizado no centro da panela, fica totalmente vermelho para indicar que ela está aquecida e pronta para ser usada.

21 comentários:

Flavio Ferrari disse...

Fui inventado no mesmo ano que o T-Fal.

Tatiana disse...

Oi Isa...
Quanta coisa boa foi inventada para o nosso conforto.
Hoje não sabemos viver sem essas maravilhas!

Beijos mil

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

ISADORA MEU MARIDO TINHA UM CELULAR ENORME DESSE AÍ!!! RSRS
A TECNOLOGIA É MARAVILHOSA TUDO MELHORA A CADA DIA!
BEIJO

Lúcia Soares disse...

Oi, Isadora.
Boa postagem. A gente se beneficia muito com esses aparelhinhos. Mas realmente, sabe os 3 que elejo como indispensáveis? (embora nem o sejam, podemos passar sem eles, mas nos acostumamos):
o telefone sem fio, o computador e a câmera digital. Boas pedidas!

(pensando bem: um colchão macio..., a água da descarga, rsrsr)
Beijo!

Rui da Bica disse...

Mentira ! ... tudo isso foi há alguns meses ! É impossível terem passado tantos anos ! :)))
Não dei por ela !
Bjs
.

Socorro Melo disse...

Oi, Isadora!

Tinha uma vaga idéia. Algumas, não sabia que já eram tão antigas.
Olhando pra trás, e vendo os modelos mais recentes, nos damos conta do progresso, e da evolução da tecnologia.

Ótimo post.

Beijos
Socorro Melo

Cacá - José Cláudio disse...

Isadora, eu sou do tempo em que a gente colocava uma tela de material plastico colorido na frente da TV para parecer em cores, hahahaha! E olhe que isso nem faz tanto tempo assim. hahahaha! Abraços. paz e bem.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Querida flor, saudades!
Como foi de férias?
Nossa que post mais interessante...a gente fica achando que td que chga é tão novinho, e na verdade é véinhu rsrsrs. Adorei, interessantíssimo!!!
Beijinhos.

Flores e Luz.

Beatriz - Jubiart disse...

Oi Isa!

O difícil e seguir toda essa parafernália moderna. Por isto para matar saudades passo sempre um cafezinho no velho e bom saco de pano rsrsrs.

Beijos...

Chica disse...

Interessante teu post. Realmente nem nos lembramos dessas datas...beijos,linda semana,chica

Palavras Vagabundas disse...

Isa, vivendo e aprendendo! Gosto muito do colchão...rs
bjs
Jussara

Mônica Suñer disse...

Isa, tô ficando velha!! Sou mais antiga que o Atari, no meu tempo jogávamos "Telejogo" - futebol, tênis e paredão, rsrsrs. Bjs

Misturação - Ana Karla disse...

Minha nossa!
Tão bom saber dessas coisas.
Quando se fala em invenção eu sempre me lembro das fichas telefônicas. kkkk
Acho que por que usei demais.
Xeros

LILIANE disse...

Isadora,
quanta coisa interessante...
a gente vai se acostumando com as "modernidades" e depois não vive sem elas, né.
beijo.

Macá disse...

Isa
Ah! Estou triste com esse post. Ou seria velha?
Me lembro de quase tudo daí.
Mas tem umas coisas que hoje são mesmo indispensáveis, típo, computador, celular, a máquina digital, as descargas, agora com 2 botões (coloquei delas na reforma que fiz nos banheiros) que economizam um montão de água.
Muito bom as coisas irem se modernizando não?
bjs

Cris França disse...

Deus conserve e crie novos inventores, o que seria da vida sem essas maravilhas não? bjs querida, adorei o post super criativo.

obrigada pelo carinho de sempre.

Cadinho RoCo disse...

Com o passar do tempo passam também os hábitos com o surgimento de invenções e descobertas diversas.
Cadinho RoCo

Edilson Cravo disse...

Viu como o tempo passou???rs
Eu jogava Atari......rsss
Obs: Vou ali me matá a já volto..ahahahahaha.
Beijooooo.

welze disse...

forno autolimpante, realmente não conheço. o meu até diz que é mas na prática mesmo, não funciona assim, ar condicionado, não gosto. me dá uma certa GASTURA, como dizem. mas sem dúvida, a vida mudou muito depois dessas invenções e criações.

Mari Amorim disse...

Muito bom,saio feliz,e com saudades de você!
Desejo que seus dias,sejam iluminados pela essência Divina,com Boas Energias Sempre!
Abraços
Mari

Cantinho She disse...

Mosqueteiraaaaa que post bacana, adorei, muito show! ;)
Saudades!
Beijo, beijo!
She